Uma Baixa mais acessível

Jul 22 2014

Uma Baixa mais acessível

Na sequência duma promessa eleitoral, a Câmara Municipal do Porto, juntamente com a Metro do Porto e a STCP, anunciou um período experimental de operação noturna do Metro. Apenas durante as noites de sexta e sábado e nas vésperas de feriados, e apenas até novembro. Por outro lado, a STCP anunciou o reforço da Rede da Madrugada em zonas não servidas pelo Metro, como Gondomar e Matosinhos.

Este serviço conjunto das duas operadoras, apelidado de Move Porto, era já há muito falado. O sucesso da noite na Baixa (e os problemas decorrentes desta) tornaram a intervenção da Câmara imprescindível.

Transportes Publicos em Portugal - MOVE Porto

Um dos problemas está relacionado com o álcool consumido e no facto de muitos dos frequentadores da noite na Baixa se deslocarem de carro para lá. Com uma oferta reforçada de transportes públicos, este problema tenderá a diminuir (já ninguém tem a desculpa de que ‘à noite não há transportes’). Já existia a Rede da Madrugada, e existe agora o metro 24h. Circulando de vinte em vinte minutos (entre a 1h e as 6h), o Metro torna-se de facto uma opção válida para quem quer deslocar-se para o centro da cidade.

O Metro circulará ininterruptamente entre a Senhora da Hora e o Estádio do Dragão (Linha A – Azul) e entre Santo Ovídio e o Hospital de São João (Linha D – Amarela). Num dos extremos da Linha Azul (Senhora da Hora) existe um parque de estacionamento grátis, e o parque do outro extremo (Estádio do Dragão) estará aberto durante as noites em que o Metro operar.

Nem todas as estações nos eixos referidos estarão a funcionar durante a noite. Na Linha A, Lapa e Heroísmo manter-se-ão fechadas, enquanto que na Linha D as estações de Faria Guimarães e Salgueiros não terão operação noturna. Sobre isto, e a uma pergunta nossa, a Metro do Porto respondeu, pela voz de Jorge Morgado, diretor de comunicação:

A justificação prende-se com o facto de, em operações nocturnas pontuais anteriores (noites de S. João, de passagem de ano e de Queima das Fitas do Porto, por exemplo), verificarmos que estas estações apresentam níveis de procura muito reduzidos. Por outro lado, trata-se de estações, todas elas, que ficam a distâncias razoavelmente curtas das estações contíguas, que estão abertas. Assim entendemos fazer sentido mantê-las encerradas na operação MOVE PORTO, reduzindo em consequência custos associados ao seu funcionamento.

A Rede da Madrugada, operada pela STCP, era já um exemplo dum serviço de transportes públicos com operação noturna. Sobrevivem, no entanto, algumas falhas no sistema existente que não foram colmatadas com a criação do Move Porto. Uma questão que susbsiste é a do desconhecimento do público em geral da existência da rede da madrugada. Ela é utilizada e é vital para muitas pessoas, mas é desconhecida por muitas outras. E muitos dos que conhecem o serviço ignoram horários, linhas, pontos de paragem. Os pontos de paragem são uma questão fulcral e que, dada a simplicidade da rede, deviam ser mais óbvios. À exceção do 9M, todos os autocarros partem da Avenida dos Aliados, não de uma ou duas paragens mas de seis, dos dois lados da via. Para o vulgar transeunte estas paragens não se diferenciam das outras, tendo apenas a referência à linha da Rede da Madrugada que lá faz paragem, numa lista junto das outras linhas. Tinha sentido transformar estas paragens em painéis de divulgação da rede, e não meras paragens, iguais às outras.

No meio de tanta aglomeração (lembre-se que a Metro e a STCP têm agora uma gestão conjunta), não surgiu ainda uma coisa óbvia: um mapa da rede noturna que englobe todos os serviços em operação. Assim o público perceberia quais os sítios por onde passa o metro e onde para, e a sua ligação com as linhas de autocarro. Este mapa podia ser facilmente adaptado do mapa existente da STCP, se bem que a este falte os locais de paragem dos autocarros. Um bom mapa conjunto permitiria também perceber se, com a introdução do Metro 24h, surgiram duplicações de serviços.

Paralelamente a estes desenvolvimentos surgiu a notícia da interrupção da circulação automóvel em algumas das ruas mais movimentadas da noite portuense. Estas são as ruas de Santa Teresa e das Carmelitas, junto às movimentadas ruas de Cândido dos Reis e das Galerias de Paris. A interrupção ocorrerá entre as 22h e as 4h das noites de fim de semana. A rua Ferreira da Silva, junto à Reitoria, passará a ter dois sentidos. A Câmara do Porto diz que, para além disto, “estão previstas medidas adicionais que visam desencorajar a utilização de veículos particulares e será incrementada a luta contra o estacionamento indevido, através de fiscalização e do recurso a reboques”. É que “Outro objetivo é proporcionar maior sossego aos moradores, que se queixavam de ruído dos automóveis, da invasão de carros nas madrugadas de sexta e sábado e do estacionamento anárquico, que chegava a impedir a entrada e saída de garagens e o socorro”.

Tem sentido a introdução de mais opções de mobilidade coletiva enquanto se restringe as opções do automóvel. O usufruto da Baixa do Porto é neste momento prejudicado pela anarquia das cargas e descargas, pelos carros estacionados nos passeios, em segunda fila, sobre passadeiras, etc. Trazer mais negócios para a Baixa, mas acima de tudo mais moradores, implica uma ação musculada por parte da Câmara. Implica também uma posição política clara: com a aposta nos modos suaves e nos transportes públicos, saem todos a ganhar.

2 Comments

  • Renato Rodrigues 22/07/2014 at 14:03

    Existem várias pessoas que são servidas por mais do que uma linha nocturna e seria importante terem horários cadenciados.

    P ex, a mim tanto me serve o autocarro que passa na Avenida de França, como o que passa na Oliveira Monteiro, mas como partem ambos ao mesmo tempo tanto faz. Se partisse um às 2h00 e outro às 2h30 ficava com uma oferta mais interessante.

    Outro ponto interessante seria ter algumas partidas mais próximas da ‘noite’, por exemplo o Jardim da Cordoaria.

    Reply
    • Nuno Gomes Lopes 22/07/2014 at 14:21

      Boa tarde, Renato. Agradecemos as sugestões. Quanto à Cordoaria, já há vários autocarros da Rede Noturna a pararem lá (apesar de, como nos Aliados, não se notar à primeira). Cumprimentos.

      Reply

Leave a Reply

Your email address will not be published.